Poema pra Kkrejar*

Kokokokó?

Kokó?

Kokó kokó kokó…

Kokokó!

Koooooó…

Kokó kokokó, kokó, kó

Kokokokokokó!!!

Kó?

Kó.

Este poema é dedicado a Aryclennis (foto – Camila Albino), que conheci numa reportagem pelo sertão de Pernambuco. Divertida, irreverente e carismática, ela me conquistou de cara, ou melhor, de bico, com sua cabeça pelada e seu andar desengonçado. Quase a levei para casa. Espero que não tenha virado canja. Kó!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s